26 de jan de 2014

O primeiro passo pode não passar de um passo


Dar o primeiro passo é só... o primeiro passo.
Assim como reconhecer um autocomportamento equivocado também é só o início da caminhada.
Não basta parar no reconhecimento das nossas falhas.
O primeiro passo existe para que seja dado o segundo. É preciso caminhar, progredir, evoluir.
O que mais se vê por aí hoje em dia é a moda de admitir que se erra. Orgulho besta, por sinal. Ainda por cima, admitir e emendar naquela conclusão intransigente "sou assim e pronto" ou na falsa evolução "pelo menos já admito isso".
Não adianta nada reconhecer-se com algum defeito e continuar repetindo o tal comportamento pela vida. Pior: querer que os outros nos reconheçam essa falsa evolução sempre que voltamos a cometer o mesmo comportamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário