22 de jan de 2014

Dilemas de um coração antigo

Ela, um amanhã, uma incógnita.
Não sei se vou te amar
Se em algum momento da vida vou te amar
Mas certamente em cada despedida
Eu sei que vou sentir
Desesperadamente a sua falta

E todas as coisas que eu escrever
Serão pra dizer
Que eu posso até não te amar
Mas hoje você é a minha própria vida

Talvez não chegue a chorar
Nem mesmo que sumas do nada eu venha a chorar
Mas cada volta tua há de valer
O que essa saudade imensa me causou

Eu sei que vou sofrer
Enquanto gostar de você e você não estiver
Vivendo ao lado meu
Enquanto quiser a vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário