3 de jul de 2013

Crônicas de Boteco - Ameaçado de morte

No balcão, dois sujeitos com seus quase cinquenta anos conversavam sem qualquer reserva.
Um deles, o mais mal acabado, com pose de filósofo, entrou num monólogo:
-...você sabe que eu bebo porquê sou pobre. Eu sofro porquê tô correndo o perigo de ter que trabalhar... 
E continuou, vociferando revoltado, como que com justiça:
-E tudo isso por causa de um FDP que diz, que alega ser filho natural do meu tio que morreu. Ele quer botar a mão no dinheiro! E o pior é que o FDP é a fuça do meu tio. E se ele ganhar na justiça você já viu... eu-vou-ter-que-prover-o-meu-próprio-sustento, cara... -disse isso pausadamente- e aí, Bruno, você sabe, seria suicídio, seria o meu fim, seria a minha morte...
Confessou solene a que grau chegou seu desespero:
-Tenho rezado muito ultimamente... Deus é testemunha!
E finalizou, com os olhos perdidos no horizonte, marejados de lamento, após pausa de quase um minuto:
-Creio que vou dar uma mijada...

Adaptação de uma adaptação de uma conversa verídica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário