3 de mai de 2013

Da simples teoria à complexa realidade

Sempre falo aos meus chegados que se for pra confiar em Deus, que seja de forma tranquila. Não adianta nada confiar só da boca pra fora e na hora da dor se desesperar, perder-se da fé como quem não confia.
Uma das minhas últimas teorias é bem simples: fez tudo o que te é possível? Se sim, entregue nas mãos Dele o que não estiver nas suas capacidades e se tranquilize.
Mas a coisa não é tão simples... Teoria não é prática.
Você pode ter a mais absoluta confiança e tudo mais, mas quando quem precisa de ajuda é quem você ama, entregar tudo nas mãos de Deus não basta para sentir-se tranquilo.
Não é falta de confiança no Pai. É que dói a angústia sobre a incerteza que possui aquele a quem amamos, e que por isso mesmo não consegue atravessar a tormenta -ou seguir por ela- sem desespera-se.
...
O que peço nos últimos dias é força pra prosseguir nessa rotina angustiante de olhar nos olhos lúcidos de quem amo e ver o seu definhar paulatino e irrevogável. Dedicação não vai faltar, afinal, já cheguei até aqui e nunca faltou. Quero muito também não deixar de ter até o último momento a palavra amiga, de confiança e esperança. Desejo encontrar na confiança a tão desejada tranquilidade, mas sem jamais deixar de dar o meu melhor, ao máximo, a quem precisa - porquê viver sem servir não é vida. E coragem, pra estar ao seu lado até os momentos cruciais -aparentemente incansável, sinceramente inabalável- porquê depois, tenho certeza absolutíssima na justiça, na sabedoria e na misericórdia Divina de que a vida continua tanto pra quem vai quanto pra quem fica.
...
O dia amanheceu bonito como todos os dias.
O sol saiu acolhedor, o clima veio fresco, os pássaros naquela sinfonia de sempre, as folhas velhas das castanheiras pincelando a paisagem.
Mas alguma coisa estava diferente.
Não sei se alguém vai entender, mas o dia pareceu meio desbotado.
Parecia não querer chocar meu coração amargurado com o contraste de tanta vida e beleza.
Talvez pra não forjar a ilusória esperança sobre o fim imediato de uma fase difícil.
Melhor assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário