21 de mai de 2013

Analisando o poder da crítica

Se a crítica que te oferecem não tem mínimo cabimento, não perca tanto tempo combatendo-a como se desses mais importância ao que possam pensar de ti do que as noções mais francas da sua consciência.
Quem te ama -quem realmente te importa-, confia e sabe esperar o tempo ratificar a sua realidade. Caso não te ame, não vale o esforço. Pense bem.
Agora, se tiver a crítica alguma ponta de realidade, se é verdade (ainda que parcial) o que expõem, não te ofendas por isso. Pelo contrário, acate com resignação e lute pra modificar a tua tendência, a tua intenção, e consequentemente o teu comportamento, sempre de dentro pra fora. Nunca o contrário, pois a máscara um dia cai vergonhosamente.
Um dia vencerás a ti mesmo. Essa é a luta mais difícil.
...
Quem se ofende com a verdade dispensa um recurso essencial na direção da transformação sincera.
Desperdiça a oportunidade do crescimento, se isola do mundo para se aliar à hipocrisia.
Vive sob a máscara da mentira, uma das mais infelizes ilusões.
...
Verdadeira ou descabida, completa ou parcial, toda crítica tem seu valor preciso. O nosso problema é sempre supervalorizar ou desvalorizá-la por completo.
Posso não ter vencido ainda nem um terço do que preciso nesta vida, mas já sei bem sobre o que estou escrevendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário