16 de abr de 2013

O valor de um diploma

Ótima charge do Aroeira, da época em que fizeram Tiririca prestar conta de sua alfabetização... a um juizado eleitoral. Nada contra o deputado federal, que segundo dizem analistas políticos, é um dos mais interessados da câmara.

As pessoas dão muito valor a um bacharelado.
Se for em ciências exatas, acho que ainda é algo de consistência mais definida. Mas se for de humanas, amanhã cedo o sujeito pode estar totalmente lascado. Percebo -com o que observo de diversas pessoas que lido todos os dias- que o conhecimento real é muito mais fruto da experiência viva que da didática fria. Arrisco-me a afirmar que sempre foi. Só que nem sempre basta a experiência pra convencer, e aí entra o diploma.
Certa vez, não recordo quem comentou comigo -sei que era educador- que sua escola estava organizando uma apresentação folclórica. Citou uma determinada dança típica do nordeste a qual sua turma apresentaria. Lembrei-me imediatamente de uma professora que tive e que também nos fez estudar sobre a mesma dança, dando ela própria as devidas direções e correções do estudo, já que era conterrânea do estado brasileiro onde a dança surgira. Por sinal, conhecia sua cultura com muita propriedade. Mais tarde, recebemos inclusive uma honraria da secretaria de cultura daquele estado, pelo resultado tão bem assimilado da pesquisa.
Disse a essa pessoa:
-Essa dança é muito bonita. Tem um lance de marcar o tempo com palmas, as meninas rodam a saia e...
Cortou-me. Riu da minha cara:
-Nada a ver!
Estranhei:
-Ué... mas uma professora minha nos ensinou que era assim. E de fato, com a pesquisa que fizemos, era mesmo...
Voltou e fechou a questão:
-Ih, então sua professora não sabia de nada. Tive o auxílio de uma colega que é graduada em dança pela universidade tal...
Me veio na ponta da língua um dos meus tradicionais "grandes merda", mas percebi que não valia nem comentar sobre a fonte de conhecimento da minha educadora. Só fiz aquela cara de "puxa vida, heim... uau!" e o papo encerrou ali.
...
Por outro lado, observa-se por aí um sem número de pessoas ocupando secretarias públicas sem jamais terem exercido antes qualquer função naquele seguimento. Quando não conquistam a vaga por politicagem, também não possuem conhecimento nem da experiência específica, nem da didática básica. Se tiverem pelo menos um diploma qualquer, a imagem não fica tão ruim perante a sociedade. (Em muito, o ex-presidente Lula é execrado até hoje por isso, enquanto FHC era um pomposo sociólogo e poliglota.)
Observemos o tanto de gente que se diploma hoje apenas para disputar vaga em concurso público de nível superior. O tanto que vivemos assolados por maus médicos e auxiliares, maus advogados, maus psicólogos, maus servidores sociais, maus pedagogos, etc, serve pra comprovar isso. (E não estou nem falando de ética profissional.)
...
O mercado exige um diploma. De fato, deveria ser algo que garantisse o conhecimento profissional de quem o conquistou e, consequentemente, um especialista razoável. Mas na prática nunca foi bem assim. Os resultados estão aí pra quem quiser ver.
Dia desses li uma excelente entrevista com o grande Ricardo Boechat que -além de ser humano excepcional- é um extraordinário jornalista, mas que mal concluiu o ensino médio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário