29 de out de 2009

Beijei-a

Beijei-a
Beijei-a com delicadeza
Beijei-a com certo pudor
Beijei-a como a primeira e a última vez
Beijei-a como a primeira e a última em minha vida
Beijei-a como a primeira e a útlima mulher do mundo
Beijei-a com minha boca, com meu beijo
Beijei-a até sentir seu saboroso gosto sem sabor
Beijei-a até sentir seu coração perto do meu
Beijei-a até estar excitado
Beijei-a buscando sua boca
Beijei-a como pescador impaciente ao anzol
Beijei-a até doer-me a boca
Beijei-a e não pensava nada
Beijei-a e tentava sentir seus detalhes
Beijei-a até parecer sentir amor por ela
Beijei-a até quase sentir-me seu
Beijei-a até senti-la minha amada
Beijei-a como se realmente fosse minha

Beijei-a como se fosse a única coisa a fazer
Beijei-a como se fosse a melhor coisa a fazer
Beijei-a enquanto arfava seu perfume
Beijei-a com volúpia sem-vergonha
Beijei-a escondido
Beijei-a na frente do mundo todo
Beijei-a e me arrependi
Beijei-a e me convenci

Beijei-a mesmo sabendo que éramos apenas mais um ao outro
Beijei-a mesmo assim
Beijei-a até dormir
Beijei-a e me desfiz menino
Beijei-a e me refiz homem
Beijei-a e me reconheci
Beijei-a e a agradeci

Nenhum comentário:

Postar um comentário