3 de jan de 2013

Um prazer maior que qualquer dor


Confesso que tenho andado receoso por me perder, mesmo desejando.
No sentido de encontrar alguém e me encontrar junto, com os imprevistos que sempre isso traz.
Encontrar uma paixão pelo caminho à essa altura do campeonato... não sei bem ao certo.
As coisas -"pra variar"- andam tão delicadas, tão necessitadas de dedicação e cuidado... Que me conhecendo, corro o risco de me desgovernar, guiado por um coração que nunca soube viver nada pela metade, que só vê valor na plenitude de um mergulho de cabeça, numa órbita perdida, num céu repleto de poesia, romance e desejo.
Eu não tomo jeito mesmo!
Se isso acontecer... já prevejo-me ao chão, catando cacos da minha frágil responsabilidade diante de graves compromissos.
Mas o pior de tudo é observar a fera rodeando salivante, esse coração que gosta de se entregar e se ferir nos dentes farpados de uma paixão qualquer.
Por hora, enquanto não souberem disto, estou seguro, estou a salvo... dos meus tropeços, dos meus devaneios, de mim mesmo, louco.
Mas que graça há? Viver pela metade não é viver de fato. Se tiver que me perder, que seja por inteiro, com quem quiser se aproximar.

2 comentários:

  1. Olá!!!
    Se deixei um comentário, há poucas horas, sobre a sua sensibilidade e cuidados, para com a doce Pietra, espero que vc aceite-o, e que possamos ser amigos!
    Grande abraço e um ótimo f-d-s!!!
    Vamos continuar, pedindo para Deus, que a Pietra seja amaparada e receba todo o amor, carinho e atenção que ela precisa e que ela merece, pois estamos juntos, nesta causa.
    Até mais,
    Misty.

    ResponderExcluir