25 de out de 2012

Muito por tão pouco


Estou aqui, pretensioso que sou, pela remota possibilidade de te fazer sentir melhor.
De te fazer brotar um mínimo sorriso que seja na represa dos teus momentos mais difíceis.
Arrancar do teu olhar, diminuta fração da luz que bem sei que escondes (ainda por desconhecimento) n'alma.
Na menor eventualidade de testemunhar a importância da tua vida na minha.
Tens noção? Sabes o que é isto? Certamente que não... Até porquê isso também nem importa tanto.
O mais importante de tudo, é conseguir perceber cada um -ou algum- destes pequenos detalhes com toda a riqueza que lhe é contida, sem a tua intenção, sem que preciso seja que me avises ou que te mostres.
Compreendendo o que talvez ninguém tenha tido a oportunidade -ou tenha feito questão- de alguma vez compreender: a leveza que traz o teu bem-estar humano, o teu sorriso de menina, a luminosidade dos teus tesouros de mulher.
Enquanto esta possibilidade existir, estarei aqui, contagiado, disposto a tudo.
Podes acreditar de olhos fechados.
Não ignores ou duvides jamais disto.
Sei bem, sou capaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário