8 de nov de 2010

Anjo


Você juntou meus cacos, me remendou.
Acreditou mesmo que era possível me salvar.
Você: o sonho mais imerecido que me restou.
Tanto que depois, até eu mesmo resolvi acreditar.

Agora vivo assim, atento, um aprendiz.
Te devo todo empenho, minha máxima devoção.
Você me trouxe de volta à vida, ainda não feliz.
E sabe bem o quanto esperei por qualquer consolação.

Me exigiu com equilíbrio, me encarou com razão
Devolveu-me a sanidade, me fez voltar a respirar
Mostrou que o amanhã está aí, pra uma nova lição
Que era só ter vontade e querer muito mesmo mudar

O resto é comigo, o passado não dá pra ignorar
Já que muitos foram os que comigo levei ao chão
E que um dia vão me permitir tudo devidamente pagar
Conto também à eles, com sua enorme compaixão

E quando ainda vacilo em certos momentos
Você vem com sua luz e me cobre de esperança
Incansável, doce, a me desviar os pensamentos
A dizer sempre que a vida é o aprender de uma criança

Nenhum comentário:

Postar um comentário