18 de abr de 2010

Simples Assim

Amar é tão simples...
É como abrir a porta ou a janela. Como olhar o céu, se atentar às estrelas, contemplar a natureza.
É um instinto latente e, por isso, nato, genuíno. Quando não, autodidático.
É sentir o calor ou o frio na pele, que relaxa ou se arrepia. E também o sabor de todas as coisas.
É perceber na planta dos pés, a textura da grama ou da areia. E ainda na praia, é se deixar alcançar pela onda, em brincadeira.
É se deixar molhar pela chuva inesperada no fim do verão.
É tão comum quanto abrir os olhos ao acordar, se espreguiçar e sorrir.
Em alguns casos, até mesmo como chorar...
É ouvir uma voz, uma música... sentir o cheiro da terra molhada ou do orvalho na madrugada. Tranquilo como respirar...
Basta admirar.
Amar é tão fácil...
E por mais triste que isso possa parecer, por mais surpresa que possa causar, envergonhado, vejo hoje que ainda não sei amar.
É verdade...

5 comentários:

  1. Feliz o poeta que sabe amar, pois poderá escrever sobre o que sente, e não sobre aquilo que acredita (ser capaz de) sentir.

    ResponderExcluir
  2. "É perceber na planta dos pés, a textura da grama ou da areia."

    Não tenho mais o que dizer,se não..concordar com você! MUITO BOM!

    E melhor,que bom que conseguimos sentir o Amor em suas mais variadas faces!

    Obrigada pela visita!

    EXCELENTE POST!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Acredito que,
    liberto de toda dúvida, livre de todas as correntes, percorrido todo o caminho, superadas as incertezas... amar é sim, bem fácil.
    ou seria, se o infeliz não tivesse depois de tudo isso, jogado fora esse tesouro... justamente por não saber o seu valor.
    Amar é saber dar o devido valor ao que significa o amor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir