13 de abr de 2010

Calma

Calma
não vai falar demais, magoar
nem ferir, nem proferir o que não deve a boca sua
nem dizer inverdades -jeito bonito de falar mentiras ao ar
mesmo que no calor do destempero, tudo seja verdade nua e crua

Calma
que o que foi pensado deve ser filtrado
e a liberdade das palavras soltas podem machucar
então, é hora de se refletir e nomear o que deve ser censurado
pra não mais ofender quem te ouve - as letras mal acabadas podem ainda cortar

Calma
quando vem a vontade
a mão não deve se levantar, nem o gatilho deve ser apertado
mesmo que contendo apenas versos negros de aparente amenidade
Evite desmanchar a represa de lágrimas nos olhos do ser condenado

Calma
Pense bem, não é só com atos que se fere os maltratados
Nem só com palavras desequilibradas e devaneios sujos os infelizes
Imagine no curto espaço de tempo, quantos podem ser afetados
E toda a dor que amarga a vida alheia com tantos dos seus deslizes

Um comentário:

  1. Detestei teu texto. Não por ser ruim, porque na verdade é ótimo, mas porque me faz lembrar de mim.

    ResponderExcluir