6 de nov de 2009

Planos versus Sonhos

A gente sonha na vida...
Quando criança, queremos ser isso e aquilo outro. São sonhos. O problema é crescer e não promover os sonhos - possíveis - à planos... Sonhos, sempre vão existir, mas nem sempre poderão ser realizados. Por isso devem ser enquadrados numa categoria à parte dos planos. Sonho de ganhar na loteria, de encontrar um amor de verdade, de ser feliz... Essas coisas, a gente não pode planejar.
Podemos planejar casar -quando já encontramos alguém, independente do alguém, planejar termos filho(s), fazer uma obra em casa, fazer as compras do mês, tomar uma atitude, sair do emprego, correr atrás de outro, criar e manter um blog...
E vamos vivendo assim, entre sonhos e planos. Eu confesso que muitas das vezes, não sei distinguir muito bem um do outro. Sabe como é difícil fugir dessas coisas... sou pisciano e, mesmo não querendo admitir, isso é uma característica dos que nasceram dentro desse período do ano. Claro que existem as excessões, mas nesse caso, sigo quase a regra... a unaminidade burra. Vou levando...
Tanta gente faz planos, esmiuça-os, data-os com precisão absoluta... esquecendo que o amanhã, à Deus pertence -acreditando Nele ou não...
A única coisa certa no amanhã é a morte. Afinal, quem sabe do seu segundo ou minuto seguinte? Que dirá do amanhã, do mês ou do ano que vem... Dez, vinte anos...
Fazer planos, além da boa sensação e do estímulo ao porvir que nos traz, é sinal de organização e objetividade. Pra alguns mesmos, sinal só...
Mas o pessoal exageira... Por exemplo, uns querem ter um milhão até os trinta anos e nessa possibilidade, não conseguem muito bem enxergar o caminho por onde enveredam, os custos que a caminhada lhe pode infligir...
Mesmo assim, o 'planejar' não significa obrigatoriamente 'realizar'...
Óbvio que cada um dá o valor que quer ao que se adquire ou se perde...
Perder o contato da família por vezes, não é um sacrifício tão grande assim... para alguns.
Passar por cima de alguém também, para outros...
Mas e quando é a saúde que se perde nessa caminhada? Quando pelo sacrifício do próprio corpo é que se atinge tais objetivos?
O rumo do futuro é sempre incerto. Juntamos dinheiro a vida toda, deixamos de usufruir do básico hoje para que, na velhice, venhamos a desfrutar do descanso merecido e das coisas boas que a vida ainda pode oferecer nessa época. Isso é sonho...
Pior quando levamos a participar desses sacrfícios, outros. Seguem nossos passos. Pessoas que, por vezes, ficam no meio do caminho. Sucumbem.
Envelheceremos mesmo? Enfim...
Eu já decidi: quero envelhecer. Mas só se puder manter meus sonhos, meus planos- mesmo que fundidos como hoje- e minha idéias.
Sonho que seja com saúde, com lucidez...
Planejo apenas ter um computador com acesso à internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário