19 de nov de 2007

Somos então, AUTO-SUFICIENTES?

Devemos ter muito cuidado com o que exigimos ou apontamos: geralmente é o que nos falta ou nos é a falha mais evidente.
Se não estamos satisfeitos com a maneira com que o outro tenta resolver as questões, melhor nós mesmos assumirmos toda e qualquer responsabilidade.
Será que somos realmente capazes?
Será que fazemos tão bem feito quanto exigimos?
Será então que nos bastamos?
De qualquer forma e antes de tudo, teremos que provar a nós mesmos que sim. Se a sua incapacidade ficar comprovada, vem a parte mais difícil: assumí-la para si mesmo e reconhecê-la ao outro.
Em vez de fazer combranças, mostre em atitude como deve ser feito.
Em vez de apontar defeitos, pense em como se sentiria sendo assinalado dessa maneira. Certamente, você tem as mesmas caracterísitcas que tanto te incomodam.
Lembre-se que a teoria muita das vezes não é nada prática.

Nenhum comentário:

Postar um comentário