18 de set de 2012

O que eu via...


Via tanta luz naqueles olhos,
Tanta vida naquele sorriso,
E tanta vida mais no sorriso de quem a cercava...
E olha que até então não era de me deixar levar por essas coisas...
Mas certo que vivia meus melhores instantes nos últimos tempos ali, nos seus arredores.
Porém, ela já parecia tão acostumada com a admiração de quem com ela convivia...
Parecia mesmo que vivia a despertar sentimentos, a torto e a direito, sem sequer perceber...
E o que era pior, a confundir corações sem saber, e a sofrer por iludir-se depois com eles.
E eu era mais um perdido no meio da multidão que a seguia, ainda que decidido.
Mais um que fora cegado por sua luz.
Iludido talvez por tanta vida que dela irradiava.

Via tanta luz naqueles olhos, quanto via olhos naquela luz.
Tanta vida naquele sorriso, quanto sorrisos naquela vida.
Tanta paz naquele caminho, quanto caminhos naquela paz.
E tanto amor naquele coração, quanto corações naquele amor.

4 comentários:

  1. Que bom que gostou, Dai querida!
    E obrigado pelo carinho de sempre!
    Isto sim é uma conquista.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. E tanta beleza nesse poema! hahahaha
    Perfeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrs... Legal que gostou, Glaucinha!
      E que bom que você está por aqui.
      Beijoca!

      Excluir