13 de dez de 2011

Férias!

Preciso de férias... de mim. Nem eu estou me aguentando ultimamente.
Nem correr tem me ajudado a eliminar o stress. Ontem, corri o dobro do que costumo e não senti qualquer alívio depois. Isso é incomum. Nem o prazer da endorfina tem me satisfeito.
Ando chato pra dédéu. Tanto que está todo mundo fugindo de mim. Até eu. Só sou legal quando durmo. Mas tenho uns sonhos estranhos... Devo estar indo atrás, durante o sono, a encher o pessoal que não encontrei durante o dia. E não adianta ninguém dizer que isso não é verdade, porquê o semancol está apitando o nível de alerta vermelho.
Tem tempo que isso não acontecia com tanta intensidade.
Eu sei que as coisas não andam fáceis, mas já foram bem mais intensas e nem por isso cheguei a afastar as pessoas de perto. Sempre lutei pra manter a vibração positiva em alta, mas agora o negócio está estranho...
Acho que passei muito tempo acreditando que dava pra segurar todas as pontas com o pé embaixo, mas isso agora parece que está se desfazendo sem alternativa.
Não há sinal de desespero, mas confesso que preciso de uma mão amiga pra segurar, pra calar minha boca e me ajudar a equilibrar os passos.
Ou não sobrará ninguém nas cercanias.
Eu tinha a pretensão de ser o porto seguro dos meus amados, mas não tenho tido sucesso. Vejo que eles acreditavam nisso e é por isso que parecem agora meio desorientados.
Tudo o que faço ultimamente é pressionar e exigir adequações imediatas.
O que eu posso fazer é contar com as forças superiores e esperar essa maré passar. Porque apesar de tudo, eu sei que sempre passa. Mesmo só, ela passa.
Me desculpem todos.

4 comentários:

  1. Acho que sou uma das que lhe devem desculpas... A vida é muito dinâmica, e por vezes, preocupados com nossa (louca) rotina, esquecemos daqueles que nos são caros, e passamos a má impressão que eles nos pesam. Na verdade, o que pesa é o compromisso de estar sempre disposto, mesmo quando as coisas provam o contrário...

    Desculpe-me pelo sumiço, viu? Realmente senti falta de lê-lo com mais frequência.

    ResponderExcluir
  2. Roberta, você tem todas as justificativas do mundo pra andar sumida. O que importa é respeitarmos um o tempo e as possibilidades do outro. Amizade é isso. Se o carinho permanece intacto, não há nada a lamentar...
    Mas assim... que bom que você apareceu!

    Beijo em você e no pequeno príncipe!

    ResponderExcluir
  3. Nem tão pequeno, querido :)
    Já é um mocinho, cheio de opinião, dentinhos (11!) e dengos...rs
    Beijo enorme!

    ResponderExcluir
  4. O tempo passa, o tempo voa, o Bamerindus virou HSBC...rs

    ResponderExcluir