2 de nov de 2011

Calo-me...


Mas vou confessar-te: não por concordar contigo.
Calo-me por compreender tuas limitações.
Percebi que debater seria então um desgaste desnecessário.
Que percebas logo que quando calo-me, não é por acatar-te.
É para não nos distanciarmos mais.
Para não regredirmos depois de tantos atritos combatidos.
E não voltarmos a perder tempo inutilmente com nossas diferenças.
Não me submeti às tuas idéias, palavras e conceitos.
Apenas tenho boa vontade contigo, com tuas lutas.
Abri mão do meu orgulho besta.
Por isso mesmo, despreocupa-te!
Não te cobrarei impossibilidades.
Amo-te.
Só não te confundas com meu silêncio.
Pois nem por amor te permito este engano.

8 comentários:

  1. eu acho que o que vc escreveu no seu texto é exatamente a descrição de um amor maduro, em que um alguém aceita o outro com todas as suas diferenças, não se deixa influenciar, porém, ao mesmo tempo respeita. Isso é difícil, cara, e talvez seja a fórmula para os relacionamentos amorosos perfeitos!
    abração da Garota de Várias Faces

    http://www.diariodagarotadevariasfaces.blogspot.com/
    visita o meu blog? me dá esse prazer ;)

    ResponderExcluir
  2. Como entendo isso, Flávio : já me deparei com uma situação em que vi claramente que o debate era inócuo, pra não dizer inútil e, sabedora disso, calei.

    O meu silêncio foi interpretado como rendição. Na verdade foi rendição de fato, mas não às ideias alheias e sim à falta delas.

    Excelente, gostei muito, parabéns!

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Garota, amor maduro sim... mas pode ser que seja de um lado só. Já imaginou?
    É exatamente como você disse: é o segredo do amor perfeito. O amor não é a parcela de uma conta. É o resultado dela.
    Beijoca!

    ResponderExcluir
  4. Luninha,
    é aquela coisa do "quem cala, consente", não? Eu sei. Nem sempre quem cala, consente. Mas é aquilo: quem ama assim, não se importa muito com a interpretação equivocada. Salvo se as coisas começarem a piorar...
    Obrigado pelo carinho de sempre.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  5. Baaaah! Eu também me calo ... alias, como as pessoas andam se limitando ultimamente, não? Não gosto disso, não gosto mesmo ... Pior, as pessoas são limitadas e de alguma forma obrigam os outros a se limitar. Que coisa chata!

    ResponderExcluir
  6. Cleber, a gente tem de observar qual a intenção dessas limitações...
    Será orgulho? Será covardia? Ou será -como no caso- compreensão com as limitações do outro?
    Porque o que há de falta de comunicação por orgulho e covardia hoje... é demais.
    Abração!

    ResponderExcluir
  7. Nada como ler o que gostaria de ouvir, acho que agora entendo o porquê do silêncio.
    Lindo blog ^^

    ResponderExcluir
  8. Melhor ainda é escrever e ver que o que serve pra mim, serve pra você também.
    Bem vinda, Rhanna!
    Beijão!

    ResponderExcluir