29 de ago de 2011

O Fundo do Poço


O chamado fundo do poço é o limite de uma conduta. É também um limite individual, visto que cada um tem capacidades e limitações diferenciadas frente às experiências da vida. Logo, o fundo do poço de um não serve de parâmetro para outro.
Só existem duas possibilidades pra quem chega ao fundo do poço: voltar à superfície para não mais retornar ao fundo, ou ficar por lá até sucumbir.
Ninguém retorna ao fundo do poço, já que essa situação só confirma que o mesmo nunca foi abandonado em definitivo. Será apenas questão de tempo vir a se perder de vez.
Por haver equilíbrio exato entre 'dar certo' ou 'dar errado', o fundo do poço não pode jamais ser observado como uma ferramenta segura para servir de marco na transformação de uma conduta, na mudança de um rumo. Uma proporção de 50/50 é muito arriscada em qualquer direção. Não existe qualquer possibilidade de 'dar meio certo' ou 'dar meio errado'. Eis o risco crítico.
Pior ainda é a ilusão de pensar que o fundo do poço seja um mal necessário para que sirva de exercício para experimentar a vida.
Quem tem medo do fundo do poço, não chega perto da sua borda.

2 comentários:

  1. Concordo com você, porém às vezes tem aquela história de que devemos errar antes para podermos aprender, deve ser isso que algumas pessoas pensam quando "procuram" pelo fundo do poço. Mas acho mais inteligente a teoria de aprender com os erros do outro, e então nos livramos de passar por essa situação por questão de lógica. ...Bom, muito obrigada por acompanhar sempre meu blog, você que também escreve deve saber que isso é motivador e levanta nossa auto estima quando alguém se identifica com a situação ou gosta dos seus textos. Isso é realmente gratificante, e eu sou muito grata por você! Se todos os leitores fossem assíduos como você, os escritores estariam feitos rs Obrigada mesmo! Beijo ;*

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Larissa... Eu fui por muito tempo um desses que precisam bater com a cabeça pra sentir dor e despertar. Não me bastavam os erros alheios. Vez ou outra ainda me pego nessa teimosia...
    Acho que estou aprendendo agora, burro velho, mas antes tarde do que nunca...
    Acompanho seu blog com atenção sincera. Acho interessante a idéia de que ele seja mais que um simples diário, que seja também um espaço de reflexão e aprendizado.
    Beijo!

    ResponderExcluir