10 de jun de 2011

O Tempo e a Verdade

Não tenho tempo. Pois vivo perdendo-o com coisas que considero extremamente importantes, prioritárias.
Ou será que não tenho tempo pra perder olhando pra dentro de mim?
Então será uma desculpa?
Pra que eu não olhe suficientemente, pra que eu não enxergue o quão razo e estagnado que é meu íntimo?
Então, não consigo olhar profundamente pra mim, sem me sentir mal, sem reconhecer que estou equivocado nas minhas buscas, importâncias e prioridades...
Será por isso que vivo emendando situações umas nas outras, sequer dando-me oportunidade de resolvê-las para imediatamente recomeçar outra ocasião?
Só de pensar em qualquer sinal de vácuo de silêncio que exista entre momentos intensos da minha vida sinto calafrios. Não posso parar para refletir. Certamente, sinal de dor, consequência de que algo está errado, impressão de sofrimento concreto.
Se o sorriso que desejo é o que brota na boca dos outros, é provável que eu muito pouco me importe com a razão e a qualidade dessa improvável fonte de felicidade. Não sei nem se é real, mas assim invejo insatisfeito aquilo que se apresenta ilusão, que me desvie a atenção para que eu não perceba o impacto ao final da linha, rumo ao meu negro interior.
Por fora, muita luz, muito brilho... por dentro, nenhuma cor, só vazio e escuridão.
Até onde continuar não tendo tempo?
...
É assim que a gente vai levando a vida: sendo levado por ela. Como se num determinado momento, sem encarar a realidade, sem a dedicação e o tempo necessários, as coisas se resolvessem num passe de mágica. Como se em um estalo divino, nosso vazio seja preenchido, nossas falhas se transformem em virtudes.
Estamos na contramão da nossa felicidade, fugindo dela. Buscando na saciedade vã a satisfação tão pretendida. Até com a vingança a gente se compraz...
Enquanto isso, só ilusão coletiva, só hipocrisia íntima, só dor pessoal.
O sistema não quer pessoas autônomas. Por nossa vez, gostamos das rédeas do sistema. Tudo porquê dá trabalho recomeçar uma vida nova... mesmo que ela seja muito melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário