23 de mar de 2011

A beleza na fragilidade

Tão delicada flor que és...
Que de tão delicada, parece que um carinho descuidado poderia ferir-te.
Pois então entendas...
Por isso também que temo afagar teus cabelos e amarrotar-te as tranças, desfazer tuas rendas.
Na tua alma, fazer tempestade, ainda que calma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário